Amizade é um substantivo, derivado de amigo.
20 de Julho, dia da Amizade

Professor pode ser amigo de aluno?
É desejável que alunos sejam amigos de seus professores?

Por que não? Se amizade é respeito, querer o bem, se sentir próximo (mesmo longe) e nutrir laços de afeto nos parece desejável que um aluno se sinta amigo de seu professor. A questão é: não ser apenas amigo enquanto houver a relação escolar. Cada papel, cada função dos atores educacionais deve ser bem definida, mesmo quando existirem mais de uma atribuição, ou quando os papéis são coordenados.

Contudo várias pesquisas mostram que a relação de confiança e afetividade, entre professores e alunos colabora bastante na diminuição do estresse e facilita a aprendizagem. Quando o aluno sente que pode confiar, que pode se sentir acolhido pelo seu professor ou tutor,  o aluno pode aprender melhor e o clima escolar, mais favorável.

Amizade também pode ser compreendida como um sentimento nutrido pelos seres humanos que tem laços, envolvimentos que contam com a empatia e compaixão. Mas atenção: você pode sentir compaixão ou empatia e não sentir amizade.

Na escola o professor pode sentir amizade pelo colega ou apenas sentir-se colega de trabalho.

Amizade é baseada na afetividade, no respeito, no querer o bem, e existe um cultivo por meio do tempo. Pode até ter sido derivada da palavra amor, segundo especialistas da etimologia.  Mas independente das definições e origem da palavra, ser amigo e ter amigos é não ser só, é como estar sempre conectado por meio de fios invisíveis, de diversas “espessuras”, é pura doçura. É criar diversos tipos de “laços”.  Amizade enfeita a alma e adoçar a vida com o cultivo da amizade, do interesse apelo outro é um bonito presente!