Como mencionado anteriormente, a neurociência trata das relações entre mente- cérebro- consciência.

A Educação Escolar representa as áreas do ensino e da aprendizagem, do conhecimento e desenvolvimento de habilidades, de modo geral.

Para ensinar e aprender devemos considerar nossos recursos, ambiente e cognição. Na aprendizagem contamos com estruturas físicas (corpo), psicológicas (mente) e cognitivas (mente/cérebro). Ou ainda, contamos com redes neurais e sua capacidade dinâmica de reconfiguração que a partir da educação podem ser otimizadas e reorganizadas, principalmente se as emoções forem contempladas.”Com a cabeça, o coração e as mãos”, assim deve ser o aprendizado ideal, já postulava Pestalozzi (1746-1827).

NEUROCIÊNCIA NA EDUCAÇÃOHoje sabemos, quase 200 anos depois, que ele tinha razão: cérebro reúne três dimensões: o pensamento, o sentimento e a ação. Linhas e agulha para tecer o a trama do Aprendizado.E quando falamos de cognição não podemos deixar de falar de Jean Piaget, que dentre várias contribuições preciosas, organizou o desenvolvimento cognitivo em estágios:

  • sensório motor (0 a 2 anos);
  • pré-operatório (2 a 7 anos);
  • operatório (7 a 12 anos);
  • formal ou abstrato (13 anos em diante).

Cada fase tem sua própria organização, esquemas e possibilidades de aprendizagem. “Aprender fazendo” é o princípio que rege os primeiros anos, depois “aprender aprendendo”, “aprender pensando” e “pensar aprendendo”. A ciência do cérebro nos traz uma complementaridade e ao mesmo tempo, um lastro para tais conhecimentos construtivistas, assim como veremos logo adiante.

O cérebro insere 3 aspectos bastante importantes para compreendermos a aprendizagem: estímulo ambientm, maturação e desenvolvimento. Isso explica, por exemplo, porque uma criança de 4 anos não coloca a linha numa agulha, também porque uma criança de até 4 anos aprende qualquer língua sem sotaque e também porque é mais difícil para uma criança controlar seus impulsos.

Primeiramente o cérebro se desenvolve a partir das regiões posteriores até a parte frontal. Ou seja, de modo geral e simplista, amadurece primeiro a região (lobo) occipital, depois (lobo) parietal e (lobo) temporal para depois terminar a região (lobo) frontal.

  • Região Occipital: responsável pelas informações visuais
  • Região Parietal: responsável por aspectos motores
  • Região Temporal: responsável por informações auditivas
  • Região Frontal e Pré-frontal: responsável pelo raciocínio, flexibilidade, atenção, dentre outros.

Muitos neurocientistas incorporam o quinto lobo, chamado de insular (insula) que tem um papel muito importante na conexão com as emoções, está relacionado ao comportamento sexual, bem como o processamento da memória.


Cadastre-se para ter acesso a informações sobre :
SAÚDE MENTAL NA EDUCAÇÃO,
NEUROCIÊNCIA EDUCACIONAL,
EDUCAÇÃO EMOCIONAL